Novas colheitadeiras New Holland: tecnologia e inovação[…]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Colheitadeiras New Holland TC e TX mantêm a alta performance

As novas máquinas são mais eficientes, tecnológicas e ergonômicas levando ferramentas exclusivas ao mercado.

A New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, lançou uma nova versão da sua tradicional linha de colheitadeiras TC, a máquina mais vendida do Brasil e líder no mercado de importadores da América Latina, e sua derivada a TX, cuja principal característica é o duplo rotor de separação, que melhora ainda mais a eficiência do equipamento.

Após cinco anos de pesquisas e testes de campo, ouvindo a opinião dos próprios produtores rurais, a empresa desenvolveu máquinas mais eficientes, tecnológicas e ergonômicas, mas que não perderam as características que tornaram a TC, que está há 28 no mercado, a colheitadeira mais reconhecida da agricultura brasileira: a robustez e o baixo custo operacional.

De acordo com a empresa, a linha TC, com sistema de colheita convencional, é mais voltada para os clientes tradicionais da marca, que não pretendem modificar a sua maneira de trabalhar e querem ter máquinas acessíveis, de pouca manutenção.

Já a TX é a máquina ideal para quem busca inovação, sem deixar de ter uma colheitadeira acessível e de pouca manutenção. É perfeita para quem quer apostar em novos conceitos, mas ao mesmo tempo quer ter um ótimo custo-benefício. Ela possui sistema de debulha por cilindro e separação por sistema de duplo rotor.

As alterações e tecnologias nas duas linhas trazem diversas ferramentas exclusivas no mercado, entregando altíssima performance em culturas como arroz, feijão, soja e milho. São 4 os modelos disponíveis, dois com debulha por cilindro e separação por saca palhas (TC 4.90, com plataforma de 20 pés, e TC 5.90, de 25 pés), e dois com debulha por cilindro e separação por duplo rotor (TX 4.90, 25 pés, e TX 5.90, 30 pés).

De acordo com Rafael Miotto, vice-presidente da New Holland Agriculture para a América do Sul,  “a TC  faz parte do universo dos agricultores do país e do continente. Nesses 28 anos, ela viu a produção brasileira saltar para a liderança no cenário mundial de produção de alimentos, mas era preciso evoluir. Essas novas colheitadeiras, tanto a TC quanto a TX, são mais eficientes e entregam um melhor desempenho no campo, seja qual for a condição do terreno e o tipo de cultura”, explica.

Raio-X das máquinas

TC – economia e alta performance para todos os tipos de culturas

Conhecidas por sua robustez, baixo custo de manutenção, economia de combustível e por entregar alta performance e o menor índice de perdas, a linha de colheitadeiras TC agora traz mais conforto a bordo e também novos sistemas de nivelamento, entre outras inovações.

De acordo com Cláudio Calaça Júnior, diretor de Marketing de Produto da New Holland Agriculture para a América do Sul, os novos modelos da TC são voltados para o cliente tradicional da linha, que não pretende modificar a sua maneira de trabalhar, e ao mesmo tempo quer ter máquinas acessíveis e de baixa manutenção.

A nova TC tem como destaque a modificação dos sistemas de limpeza (agora de dupla cascata) e o sistema de Optifan, ventilador automático para todos os modelos, assim como os novos côncavos seccionados e o ultramoderno sistema de nivelamento SMARTSIEVE, além do novo desenho e cabine mais confortável, plataforma elétrica e maior capacidade do graneleiro. “Toda essa tecnologia torna a máquina ideal para diversas culturas, como soja, milho, arroz ou feijão”, frisa o diretor.

A máquina é ofertada em dois modelos, ambos com debulha por cilindro e separação por saca palhas: TC 4.90, com plataforma de 20 pés, e TC 5.90, de 25 pés. Essa linha de colheitadeiras continua sendo a mais acessível do mercado (classes 4 e 5), com excelente relação custo-benefício para o agricultor, mantendo as tradições das antigas TCs.

Segundo Calaça, a nova TC reúne todos os elementos que fizeram a máquina se tornar líder de mercado: o baixo custo de manutenção, a fácil operação, o baixo custo de aquisição e o alto valor de revenda.

O baixo índice de perdas é uma proposta de valor de todas as colheitadeiras da New Holland. Assim como em todos os outros modelos da marca, foram desenvolvidas novas e modernas ferramentas para diminuir ainda mais os índices de perda. Esses baixos índices dependem principalmente do sistema de limpeza, por isso as tecnologias embarcadas nele são muito importantes.

Mais desempenho

Todas as máquinas da linha TC seguem com o tradicional sistema industrial de separação por saca palhas. Após ser debulhado no cilindro, o material passa pelo batedor, onde é direcionado para o Rotary. Ali começa a separação. Isso garante um melhor desempenho em condições adversas, mesmo com alta umidade e com variação de densidade de cultura, o que permite melhor desempenho em tiro curto.

A plataforma elétrica da nova TC garante, ainda, melhor flutuação, dando à máquina maior capacidade e velocidade de copiar o solo. Outra novidade está no alimentador, que foi reposicionado. O material agora é alimentado mais acima do cilindro em comparação aos modelos anteriores. Isso aumentou a capacidade de trilha da máquina e consequentemente diminuiu os índices de perda.

Os côncavos de debulha da TC são seccionados e as seções podem ser trocadas individualmente através de uma abertura entre a cabine e o alimentador. Isso facilita muito a configuração da máquina para troca de culturas.

Outra novidade está no graneleiro: o sistema de espalhamento de grãos foi redimensionado para melhorar o espalhamento e livrar melhor a saída dos grãos no elevador, o que aumentou a capacidade do elevador de grãos limpos e, consequentemente, melhorou a capacidade de colheita da máquina.

Debaixo do capô as colheitadeiras seguem com a mesma motorização (FPT TIER 3 – MAR 1, com potências que variam de 220 HPs a 268 HPs). As máquinas ganharam também tanques maiores, o que lhes confere mais autonomia em relação à geração anterior.

Conforto e ergonomia

 O assento do operador na nova TC tem o encosto mais alto e uma superfície mais ergonômica. A cabine também ficou mais espaçosa, silenciosa e ergonômica e a alavanca multifunção foi toda redesenhada, facilitando a operação e deixando todos os botões ao alcance dos dedos.

As novas colheitadeiras possuem, como opcionais, tecnologias para agricultura de precisão (PLM – Precision Land Management). Entre eles o monitoramento de colheita com tela totalmente integrada (Inteliview™ IV), que apresenta uma interface comum a tratores, colheitadeiras, pulverizadores, forrageiras e debulhadoras.

Trata-se de uma tela grande e sensível ao toque de 10,4 polegadas, que não só controla as principais funções do equipamento, mas também as aplicações de precisão, como orientação automática, mapeamento conforme aplicado e controle das funções do implemento.

A nova TC conta também com o opcional do piloto elétrico Ez-Pilot, uma solução de direção assistida de alto desempenho integrado na coluna de direção do equipamento, que pode ser instalada na maioria das marcas de tratores, pulverizadores e colheitadeiras New Holland.

TX – mais desempenho e capacidade de colheita

Derivada da TC, a TX oferece um sistema de duplo rotor de separação, que permite uma maior capacidade de processamento e, consequentemente, de colheita. É a máquina ideal para quem busca inovação, sem deixar de ter uma colheitadeira acessível e de pouca manutenção. É perfeita para quem quer apostar em novos conceitos, mas ao mesmo tempo quer ter um ótimo custo benefício.

Outra novidade está nos sistemas de limpeza, que é de tripla cascata. A máquina conta ainda com o sistema de Optifan, controle automático da velocidade do ventilador para todos os modelos, assim como os novos côncavos seccionados e o ultramoderno sistema de nivelamento SMARTSIEVE, além da plataforma elétrica e maior capacidade de graneleiro. “As TXs partem da base do projeto campeão da TC e entregam ainda mais performance com a capacidade do sistema de duplo rotor de separação, muito eficiente em todos os tipos de colheita”, afirma Calaça Júnior.

A TX está disponível em dois modelos com debulha por cilindro e separação por duplo rotor (TX 4.90, com plataforma de 25 pés, e TX 5.90, de 30 pés), que, assim como as TCs, se manterão nas classes de colheitadeiras 4 e 5, com uma relação custo-benefício excelentes para o produtor rural.

De acordo com Carlos Schimidt, especialista em Marketing de Produto da New Holland Agriculture, as TXs são colheitadeiras acessíveis e com um excelente custo-benefício. “A New Holland optou por manter um compromisso de confiança com os clientes, trazendo máquinas que continuam acessíveis e com uma capacidade de colheita e tecnologia embarcada baseadas na experiência e voz dos clientes. Com toda certeza é uma colheitadeira que tem muito valor agregado, mas com o preço acessível”, destaca.

Debulha por cilindro, separação por rotor

 As máquinas da linha TX apresentam um conceito de colheita que mantém o tradicional sistema de debulha por cilindro, porém com duplo rotor de separação em substituição ao batedor, rotary e saca palhas. Após passar pelo cilindro de debulha, o material é levado diretamente ao duplo rotor de separação. Ali é separado o grão da palha por força centrífuga.

A capacidade de processamento do sistema de duplo rotor de separação é maior que a de saca palhas, e isso é o que faz a capacidade de colheita da TX ser maior do que a da TC.

No caso do sistema de limpeza da TX, a novidade é que ela conta com um degrau no meio do bandejão com vento, e uma pré-peneira em degrau, totalizando três quedas no processo de separação e limpeza. “Com isso, cria-se um sistema de separação e limpeza com tripla cascata, algo completamente novo e único no mercado. Isso resulta em um menor índice de perdas e um grão mais limpo no graneleiro, trazendo mais rentabilidade ao produtor”, explica o diretor.

A plataforma elétrica da TX fornece uma melhor flutuação, dando à máquina maior capacidade e velocidade de copiar o solo. O alimentador foi reposicionado em relação à antiga TC. O material agora é alimentado mais acima do cilindro. Isso aumentou a capacidade de trilha da máquina e, consequentemente, diminuiu os índices de perda.

Os côncavos de debulha da TX, assim como os da nova TC, são seccionados e as seções podem ser trocadas, individualmente, através de uma abertura abaixo do alimentador da máquina. Isso facilita muito a configuração da máquina para troca de culturas.

O graneleiro da TX  foi modificado em relação à TC antiga e o sistema de espalhamento de grãos foi redimensionado a fim de melhorar o espalhamento e livrar melhor a saída dos grãos no elevador de grãos, o que aumentou a capacidade do elevador de grãos limpos e, consequentemente, melhorou a capacidade de colheita da máquina.

O motor da TX é o mesmo modelo da co-irmã TC: o FPT TIER 3 – MAR 1, com potências que variam de 220 HPs a 268 HPs. As máquinas possuem também tanques maiores, o que confere maior autonomia em relação à geração anterior da TC, por exemplo.

Cabine mais espaçosa

 O assento do operador na nova TX tem o encosto mais alto e uma superfície ergonômica, trazendo conforto a bordo. A cabine também ficou mais espaçosa e silenciosa, além da alavanca multifunção foi toda redesenhada, facilitando a operação e deixando todos os botões ao alcance dos dedos.

As novas colheitadeiras possuem, como opcionais, tecnologias para agricultura de precisão (PLM – Precision Land Management). Entre eles o monitoramento de colheita com tela totalmente integrada (Inteliview™ IV), que apresenta uma interface comum a tratores, colheitadeiras, pulverizadores, forrageiras e debulhadoras.

Trata-se de uma tela grande e sensível ao toque de 10,4 polegadas, que não só controla as principais funções do equipamento, mas também as aplicações de precisão, como orientação automática, mapeamento conforme aplicado e controle das funções do implemento.

A TX conta também com o opcional do piloto elétrico Ez-Pilot, solução de direção assistida de alto desempenho integrado na coluna de direção do equipamento, que pode ser instalada na maioria das marcas de tratores, pulverizadores e colheitadeiras New Holland.

Ambas as linhas estão sendo produzidas na fábrica em Curitiba, de onde devem abastecer os mercados de toda a América Latina.

Opinião dos agricultores

 Segundo Cláudio Calaça Júnior, a marca não teria chegado a esse resultado se não tivesse contado com a colaboração de seus principais parceiros: os próprios agricultores.

Durante as visitas em campo, as sugestões dos produtores eram anotadas pelo time de especialistas, bem como as observações dos concessionários e as conversas em feiras agrícolas. “Depois, com uma elaborada clínica que envolveu mais de uma centena de clientes que nos deram os pilares para desenvolver o projeto, colocamos os primeiros protótipos em campo ainda em 2015. Eles foram testados, exaustivamente, nos campos de diversas regiões do país, em diferentes culturas e condições, com vários clientes de perfis diferentes”, conta.

Nos anos seguintes, juntaram-se aos dois primeiros protótipos mais quatro máquinas, já bem próximas da versão final. Em 2019, a New Holland colocou 21 unidades do produto final em testes, novamente, para garantir que as expectativas dos clientes fossem atendidas plenamente. “Foram mais de 40 mil hectares colhidos, com mais de 10 mil horas-máquina e dezenas de pessoas envolvidas. Sempre aos olhos dos nossos clientes”, pontua Carlos Schimidit, especialista em Marketing de Produto da New Holland Agriculture.

Para Gustavo Taniguchi, diretor de Marketing Comercial da marca para a América do Sul, as novas linhas TC e TX seguirão confirmando a alcunha de “Total Confiança” que a colheitadeira recebeu dos próprios agricultores ao longo dos anos. “Tudo o que tinha de atributo positivo na TC foi mantido nas novas máquinas. O que levava o cliente New Holland a comprar uma TC, ele continuará a encontrar lá, só que agora com melhorias”, define.

A história de TC

 A linha TC teve início em 1992, quando a New Holland lançou os modelos TC52, TC54 e TC56, produzidas em Zedelgem, na Bélgica. No ano seguinte, em 1993, a linha chegava ao Brasil, sendo fabricada em Curitiba nos modelos TC55 e TC57, que tinham peneiras autonivelantes. Em 2008, foi lançada a linha TC 5000, com cabine e estilos novos, que se tornou campeã de vendas no Brasil entre as colheitadeiras, marca que se mantém até hoje.

Além de ser a mais vendida, a TC é também a mais querida do Brasil e da América Latina, sendo exportada mesmo para alguns países da África e do Oriente Médio. A máquina reúne todos os elementos que fazem dela uma máquina acessível, de baixo custo de manutenção, fácil operação, baixo custo de aquisição e alto valor de revenda, o que a tornou um sucesso de vendas.

Empresa: New Holland Agriculture
Site: https://agriculture.newholland.com/lar/pt-br
Contato: 0800 111 1111

Redação EaeMáquinas

 

 

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

Sobre Nós

A Revista EaeMáquinas, de circulação bimestral, é o melhor guia de compras do setor de máquinas; relacionando as empresas, revendas e distribuidoras de equipamentos, peças, prestadores de serviços e notícias relacionadas ao mercado.

Contato: [email protected] — Tel.:11- 4604-8046

Siga-nos

Deixe seu Email para acompanhar as novidades

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!