Motoniveladora: otimize o trabalho com precisão e eficiência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A motoniveladora é um equipamento versátil que tem ganhado cada vez mais espaço e protagonismo no mercado. Usada massivamente para deslocar e nivelar uma superfície de terra, sua funcionalidade hoje é expansiva e chega a ações como pavimentação, trabalho em declives e aclives, desgarramento e escarificação, mistura e colocação de materiais. Assim como, ela tem ganhado espaço no setor agrícola com a criação e manutenção de curvas de níveis, fazendo a aragem da terra e preparando-a para receber plantações.

Construída a partir de um chassi articulado, com seis rodas, a variedade deste tipo de máquina se deve à lâmina que pode inclinar em diversas posições em relação ao seu eixo de marcha e ao plano horizontal, e ao ripper na parte traseira, também conhecido como escarificador. O item serve para lidar com superfícies mais densas, misturando e reintegrando o novo material.

A motoniveladora é um equipamento pesado, bastante grande, com cerca de 15 metros, e peso que varia de 12 a 17 toneladas. Sua velocidade à frente vai de 4 a 35 km/h e à ré de 7 a 23 km/h em média. Por isso, sua cabine oferece visão em 360°. A máquina tem um contrapeso na parte frontal para aumentar sua estabilidade em territórios instáveis, rodas robustas e um motor potente.

Atenção às lâminas

As lâminas são importantes itens para que a máquina desenvolva seu trabalho perfeitamente. Esses equipamentos são alterados dependendo da atividade produtiva que será realizada.

As motoniveladoras podem ser divididas basicamente em dois tipos diferentes: as  com lâmina de corte e as que possuem lâmina de acabamento. O primeiro tipo é fabricado com um material de grande espessura, sendo assim, mais resistente. Enquanto que a lâmina de acabamento é feita com produtos mais finos, assim, é indicada para o acabamento e nivelamento de bases. Ainda assim, essa especificidade não influencia no desempenho da máquina.

Para que você possa adquirir a motoniveladora que mais se alinha com as suas necessidades, esta edição do Comparativo da Revista EaeMáquinas traz as melhores opções do equipamento disponíveis no mercado.

                                                        CASE 885B

A CASE Construction Equipment, uma das líderes mundiais do setor de máquinas de construção e infraestrutura, apresenta a motoniveladora CASE 885B como uma máquina que proporciona menor consumo de combustível e maior vida útil dos componentes.

Focada em levar aos clientes as melhores soluções em equipamentos de construção, a empresa informa que reúne os mais modernos padrões tecnológicos e ergonômicos quando se trata de motoniveladoras. Com três modelos (845B, 865B e 885B) fabricados no município de Contagem, em Minas Gerais, a marca do grupo CNH Industrial destaca o desempenho, a produtividade e a economia como características comuns atribuídas a estas máquinas.

Com peso operacional de 18.050kg, a motoniveladora CASE 885B tem motor de duas curvas de potência sendo elas 220/234 hp, além de uma lâmina central com capacidade de corte de 14” e um perfil de múltiplos raios (Roll-Away), que proporciona um corte sem esforço, resultando em menor consumo de combustível e maior vida útil dos componentes.

Para o especialista de produtos da CASE, Trazilbio Filho, a 885B é ideal para quem busca alto desempenho e excelentes resultados. “Graças às curvas de potência do motor, combinadas ao elevado nível de torque e ao baixo consumo de combustível, o equipamento consegue entregar o melhor rendimento operacional seja em aplicações de obras urbanas ou no agronegócio”, explica.

De acordo com a empresa, o modelo inclui o sistema hidráulico com “Load Sensing”, que regula a vazão da bomba hidráulica, consumindo o mínimo de potência necessária do motor. O equipamento também possui freios auto ajustáveis, do tipo multidisco em banho de óleo, e dois circuitos, sendo um para cada lado dos eixos traseiros.

Diferencial na produção

A CASE explica que a lâmina central da motoniveladora 885B tem capacidade de deslocamento lateral a 686 mm à direita e 533 mm à esquerda e angulação de corte de 90°. A capacidade de corte da lâmina é, segundo Filho, um diferencial na produção e a torna reconhecida como uma das melhores do mercado.

A marca afirma que, com barra de tração em formato “A” e círculo com dentes externos, o equipamento ainda garante maior estabilidade no corte, potência e máximo rendimento de giro da lâmina.

E, durante todo o ciclo de vida da máquina, a CASE permanece junto dos clientes com seu portfólio de peças e serviços pós-vendas. Entre as soluções ofertadas estão as peças genuínas e as peças da linha NEXPRO, voltada aos equipamentos mais antigos; além das opções de plano de manutenção preventiva e corretiva que podem ser adquiridos em uma das concessionárias da marca.

                                                         Cat® 140

A motoniveladora  Cat® 140, fabricada no Brasil pela multinacional Caterpillar, é retratada ao mercado como o padrão em eficiência operacional e produtividade geral.

“Da construção à manutenção de estradas, as motoniveladoras Cat 140 são projetadas para ajudar a fazer mais em menos tempo. O conforto do operador e a facilidade de manutenção sem precedentes ajudam a maximizar o retorno do seu investimento”, informa o especialista de aplicação de produtos da Caterpillar, Augusto Montragio.

A 140 conta com o motor Cat® C7, que, de acordo com a marca, fornece baixo custo de operação e a durabilidade usual dos produtos da Caterpillar. Montragio explica que os freios são hidráulicos de discos múltiplos para obter uma frenagem suave e previsível, assim como reduzir os custos de operação.

A motoniveladora  Cat 140 conta com um projeto de cabine que promete fornecer conforto, visibilidade e facilidade, de modo que os operadores sentem-se mais confiantes e produtivos. A empresa informa que a estrutura conta com ajustes DCM rápidos e simples que minimizam o tempo de serviço. Assim como tecnologias integradas de controle e monitoramento da máquina, que ajudam a melhorar a eficiência do nivelamento e aprimoram o gerenciamento da frota.

Quando o assunto é a segurança dos operadores, a Caterpillar destaca, entre as características da máquina, a visibilidade proporcionada, retenção hidráulica e sistemas de direção e freio redundantes, que ajudam a atingir as metas de manter a segurança de todas as pessoas no final de cada dia de trabalho.

Conforto e Controle

 A motoniveladora Cat 140 conta com controles por joystick, que substituem as alavancas, reduzindo o movimento das mãos e dos braços em 78%, o que ajuda a reduzir a fadiga do operador e, consequentemente,  aumentar a produtividade.

O joystick esquerdo controla a direção, a articulação, o retorno para o centro, a inclinação das rodas, a seleção de velocidade, a flutuação e o cilindro de levantamento da lâmina esquerda. Já o joystick direito é responsável pelas funções da tração, do círculo e da lâmina, bem como pelo controle do acelerador eletrônico e o bloqueio/desbloqueio manual do diferencial.

De acordo com a Caterpillar, o ângulo de inclinação do joystick reflete o ângulo de giro dos pneus. Um sistema de tensionamento dos freios mantém o joystick na posição até  o operador movê-lo. O controle da direção reduz automaticamente a sensibilidade da direção em velocidades de deslocamento mais altas para ter controle previsível.

Sobre o ventilador hidráulico, a Caterpillar afirma que ele ajusta automaticamente a velocidade de acordo com os requisitos de arrefecimento do motor. “Quando a demanda de arrefecimento é reduzida, você se beneficia de mais potência para o solo e melhor eficiência de combustível”, explica Montragio.

A motoniveladora Cat 140 conta ainda com o recurso de cronômetro de desligamento em marcha lenta do motor. Essa característica padrão pode ser ativada por software pelo revendedor para desligar o motor após um determinado período de tempo. “Projetamos as motoniveladoras 140 para fornecer eficiência e longevidade nas aplicações mais exigentes”, conclui Montragio.

                                                     John Deere 620G

A motoniveladora John Deere 620G se destaca por ser a menor e mais econômica da série. Oferece até 10% de economia de combustível, conta com um pacote de resfriamento superior e acessibilidade para serviço no nível do solo.

Entre seus diferenciais está o motor de 6.8 litros, que atende a regulamentação Brasil MAR-I (que estabelece limites de emissões de poluentes monóxido de carbono (CO), hidrocarbonetos (HC), óxidos de nitrogênio (NOx) e material particulado (MP) em motores de máquinas agrícolas e de construção), bloqueio automático do diferencial padrão e facilidade de manutenção.

Em 2020, a máquina passou a ser produzida na fábrica da John Deere de Indaiatuba, no interior de São Paulo. De acordo com a companhia, a motoniveladora 620G possui o que há de mais tecnológico nas operações e permite ampla disponibilidade e suporte no pós-venda oferecido pela empresa.

A marca garante ainda que a série G entrega eficiência e potência na medida certa. O motor de 6.8 litros oferece ganho de produtividade, além de possuir o modo Eco que, quando ativado, reduz a rotação do motor e otimiza o consumo de combustível. A John Deere assegura que a cabine das motoniveladoras também oferece mais visibilidade da operação, melhorando a ergonomia do operador.

“Sem contar que, seja no canteiro de obras, em atividades agrícolas ou na construção de estradas, o suporte conectado John Deere e a assistência da rede de distribuidores fazem a diferença para os clientes”, pontua Thomás Spana, gerente de vendas da divisão para o Brasil.

Mais potência e torque

 A empresa afirma que as máquinas da série G contam com maior potência de motor, torque e tração de lâmina, que oferecem alta capacidade de manejo e entregam mais força de desagregação ao solo. Isso permite que o equipamento atravesse pontos de difícil acesso ou enfrente colinas íngremes.

“Oferecendo vantagens exclusivas e opções inigualáveis, nossa linha de motoniveladoras permite que você mesmo decida como fazer o serviço. Parcial ou totalmente carregadas, cada uma dessas resistentes lâminas vem equipada com a mesma durabilidade reforçada e os mesmos recursos que aumentam seu tempo em atividade”, explica a companhia.

Os equipamentos ainda dispõe do JDLink™, software da John Deere para o gerenciamento das operações da motoniveladora de qualquer lugar e a qualquer instante; e podem ser conectadas ao Service ADVISOR™ Remote, ferramenta que permite ao distribuidor conectar-se à máquina para realização remota de diagnóstico e análise de dados de desempenho do equipamento. Juntas, essas ferramentas formam um pacote integrado de soluções tecnológicas, o John Deere WorkSight™. Com ele, o cliente pode tomar decisões inteligentes, otimizar a frota, aumentar a produtividade e diminuir o custo operacional.

                                                        Komatsu GD655-5

Para quem busca conforto, durabilidade, segurança e eficiência de combustível na linha de Motoniveladora de porte de 18 toneladas, a Komatsu, fabricante de máquinas pesadas, traz em seu portfólio a GD655-5.

A empresa afirma que buscando manter seus principais pilares referente a segurança, conforto e durabilidade, apresenta nesta máquina um design da cabina hexagonal ROPS/FOPS, que dispõe de uma visibilidade frontal, lateral e traseira além de proporcionar uma ampla visão da lâmina de trabalho. Isso gera ao operador mais confiança, agilidade e aumento de produtividade durante as operações, devido ao total controle e precisão do corte, nivelamento e escarificação do material.

“Além disso, a cabina conta com um excelente espaço interior com assento com suspensão de contorno anatômico, proporcionando conforto ao operador durante longas horas de operação”, explica o engenheiro de vendas, Fernando Silva Davila.

O interior da cabine é composto por consoles ajustáveis para melhor ergonomia e ar-condicionado. O painel de monitoramento eletrônico fornece ao operador advertências quando há ocorrências de anormalidades no equipamento e controle eletrônico de aceleração. Essa configuração possibilita que o operador adeque a condição de trabalho sobre os modos de operação selecionados.

As motoniveladoras GD655-5 são equipadas com transmissão hidráulica powershift projetadas e fabricadas pela própria Komatsu, proporcionando, de acordo com a marca, alta durabilidade e alta performance.

“Em aplicações que exigem potência para nivelamento de terrenos acidentados ou controle fino à baixa velocidade, o operador pode selecionar o modo automático (conversor de torque). O conversor de torque proporciona uma extraordinária força de tração e controle. Através desse recurso o operador consegue um excelente controle em baixa velocidade sem a necessidade de mudança de marcha ou uso do pedal para controle de aproximação. Caso seja necessário desenvolver uma velocidade elevada de transporte ou para remoção de material, o operador pode selecionar a opção de transmissão manual (transmissão direta)”, explica Fernando Davila.

Eficiência de consumo de combustível

A Komatsu desenvolve e fabrica em suas próprias instalações todos os principais componentes do equipamento, como motor diesel, sistema eletrônico e hidráulico.

Para uma maior eficiência de combustível durante as operações, a motoniveladora GD655-5 possui em sua configuração um sistema que permite a seleção do modo de operação mais apropriado de acordo com as condições de trabalhos a serem executados.  Os modos de potência (P) e econômico (E) são selecionados através de um seletor na cabina de operação.

Além disso, a empresa informou que, para contribuir na eficiência de combustível e disponibilidade física, o equipamento possui o sistema de arrefecimento sobre demanda que reduz a perda de potência do motor em baixas temperaturas.

A Komatsu disponibiliza para o modelo GD655-5 uma geometria de lâmina de 4,3m³ . A longa distância entre os eixos possibilita ao operador uma grande angulação da lâmina, permite que o material se mova mais livremente durante a operação, o que reduz a demanda de potência.

                                              New Holland RG200.B

A motoniveladora RG200.B, da New Holland Construction, marca da CNH Industrial que celebrou 70 anos de Brasil em 2020, se destaca pela força de tração. Reconhecida no mercado pela proximidade com cliente e presença em todo o território nacional, a empresa disponibiliza uma linha completa de motoniveladoras para atender diferentes segmentos, da agricultura à construção.

O modelo RG200.B, de acordo com a marca, conta com comandos hidráulicos de elevada precisão. A articulação do chassi à frente da cabine fornece mais visibilidade para o operador em operações de offset, e em marcha à ré, lâmina central dispõe de perfil evolvente Roll Away e sistema gira círculo com dentes externos, resultando em fácil limpeza, proteção contra quebra do pinhão e maior torque de giro.

A empresa explica que a máquina é equipada com o motor FPT N67 MAR-I/Tier 3, de 6,7 litros com dupla potência (205hp/219 hp), transmissão automática Powershift eletrônica com sistema Lock-up, aceleradores de pedal e manual e eixo traseiro com sistema Diff Lock (bloqueio do diferencial).

“Nossas motoniveladoras têm a função automática Lock-up de acoplamento direto, que em determinadas aplicações, é capaz de anular a multiplicação do torque, resultando em uma máquina com comportamento mais suave, preciso e com menor consumo de combustível durante o deslocamento, espalhamento de material ou trabalho de acabamento”, explica o especialista de Produto da New Holland Construction, Marcelo Mota.

A New Holland RG200.B tem peso operacional de 19.070 kg e recebeu, recentemente, a configuração Heavy Duty. Oferecida agora de série, a configuração adicionou pneus de 20,5 polegadas e placa de empuxo frontal de 800 kg, promovendo um aumento na força de tração e de penetração da lâmina, além de melhorar a estabilidade de direção.

“Os aumentos são significativos, uma vez que quando se trabalha em terreno compactado ou com alta resistência ao corte e movimentação de material, quanto menor for a força da lâmina, mais difícil será desagregar um volume de material do solo. Temos torque de sobra em nossas motoniveladoras, e com os acréscimos na força de penetração da lâmina e na força de tração, o equipamento está preparado para qualquer desafio”, afirma Mota.

Agilidade nas manobras

De acordo com a empresa, os eixos da New Holland RG200.B foram feitos para garantir robustez e mais capacidade de transferência de potência ao solo. A inclinação lateral das rodas, em 15,3º, à direita ou à esquerda, e a oscilação de 20º para cada lado, permitem o acompanhamento das irregularidades do terreno. O ângulo de esterçamento das rodas dianteiras é de 42º para ambos os lados e a articulação do chassi é de 25º​​ para a direita ou esquerda, com raio de giro que permite ao operador executar trabalhos em áreas restritas com facilidade e realizar operações em curvas sinuosas em menor tempo.

A New Holland explica que o sistema hidráulico é do tipo Load and Flow Sensing (sensível à carga). Assim, a bomba somente fornece fluxo quando o operador aciona uma das alavancas de controle, o que reduz o consumo de combustível.

Outro destaque apresentado pela New Holland para a motoniveladora RG200.B é a sela com cinco posições de inclinação da lâmina, de fácil bloqueio, por meio de dois pinos.

Redação EaeMáquinas

 

 

Deixe seu comentario

Ultimas Noticias

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se para receber novidades em seu Email, fique tranquilo que não enviamos spam!

x

Assine já EaeMáquinas​

R$60,00 /ano

ASSINAR AGORA!

Sobre Nós

A Revista EaeMáquinas, de circulação bimestral, é o melhor guia de compras do setor de máquinas; relacionando as empresas, revendas e distribuidoras de equipamentos, peças, prestadores de serviços e notícias relacionadas ao mercado.

Contato: [email protected] — Tel.:11- 4604-8046

Siga-nos

Deixe seu Email para acompanhar as novidades

Solicitar maiores informações

Preencha as informações abaixo e entre em contato com o anúnciante!